Tendências no uso de materiais no setor de embalagens

A indústria de embalagens passou por uma transformação nos últimos anos em decorrência do surgimento do comércio eletrônico, da digitalização da cadeia de suprimentos para atender às maiores demandas por agilidade e eficiência no fornecimento de mercadorias e da crescente conscientização ambiental, que se reflete em regulamentações mais rígidas.

 

Além disso, a crise de saúde causada pela pandemia Covid-19 tornou-se outro fator de grande impacto no setor. Por um lado, está acelerando a consolidação do comércio online e, por outro, introduziu elementos específicos a se levar em conta na fabricação e distribuição de embalagens, que influenciam, por exemplo, a escolha dos materiais.

 

A influência da crise sanitária

 

Antes da explosão da pandemia que transformou nossas vidas, a indústria de embalagens atuava em uma direção marcada por fatores como:

 




Sustentabilidade

 

Regulamentações governamentais mais rígidas e uma consciência cidadã mais sensibilizada convidaram os fabricantes a assumir sua responsabilidade social no combate à contaminação gerada pelas embalagens, tanto no processo produtivo quanto no final de sua vida útil. Entre as tendências mais comuns estão: o uso de materiais reciclados, recicláveis, reutilizáveis ​​e biodegradáveis ​​/ compostáveis; redução do uso de matérias-primas fósseis; ou designs adaptados ao produto para evitar o excesso de embalagens e, portanto, minimizar a geração de resíduos.  


Personalização

 

A embalagem é uma ferramenta de marketing, um meio publicitário que, cada vez mais, as empresas aproveitam para chamar a atenção do consumidor e se distinguir da concorrência.
 


Transparência

 

As embalagens transparentes, principalmente em alimentos, permitem visualizar o conteúdo, o que gera confiança no consumidor.

 


Funcionalidade


Uma experiência de uso satisfatória influencia na fidelização. Embalagens adequadas ao produto, fáceis de abrir, com as dimensões necessárias e que facilitam a devolução em caso de incidência.

 

 

 

  

As medidas adotadas como resultado da pandemia Covid-19 aceleraram e consolidaram essas tendências. O comércio online cresceu em todos os setores, especialmente em alimentos; e o farmacêutico viu como disparou a demanda por produtos de proteção contra o coronavírus, como máscaras e álcool em gel.

 

A funcionalidade com embalagens adaptadas ao uso individual, que proporcionem uma boa experiência de consumo, por exemplo, em pedidos de take-away, tornou-se, mais do que uma tendência, uma necessidade. Também embalagens transparentes, muito necessárias em produtos alimentícios de quarta e quinta linha.

 

Continuando no setor alimentar, uma característica essencial das embalagens, acentuada pela pandemia, é que superam os processos térmicos com o máximo de garantias de segurança. Os plásticos termoformados resistem à esterilização, preenchimento a quente e uso de micro-ondas.

 

Em relação à sustentabilidade, talvez em um  primeiro momento a emergência sanitária coloque este fator um pouco de lado, mas para que a indústria seja sustentável, tanto econômica quanto ambientalmente, o uso de materiais que respeitem o meio ambiente e o princípio do mínimo desperdício deve continuar a definir a agenda. Bioplásticos, papelão reciclado e embalagens reutilizáveis ​​ainda têm um longo caminho a percorrer.

 

Até quando será utilizada a embalagem de papelão?

 

Da mesma forma, o papelão tem uma longa vida pela frente na indústria de embalagens. A ascensão do comércio online, a sua percepção como um material higiénico e amigo do meio ambiente, a sua versatilidade para o desenvolvimento de soluções muito diversas e as regulamentações que penalizam a utilização de plásticos não reutilizáveis ​​são fatores que favorecem o crescimento deste material

poroso_latas_tomate


Segundo dados da Associação Espanhola de Fabricantes de Envase e Embalagens de Papelão Ondulado (AFCO), a produção de papelão ondulado aumentou 4,4% em 2019, e 0,6% a mais em 2020, atingindo 5.552 milhões de m2, o que representa oito anos consecutivos de crescimento (32 % a mais no total do período).

 

As necessidades de higiene e prevenção relacionadas à crise sanitária têm levado a uma maior demanda por caixas e bandejas descartáveis ​​para material sanitário, alimentos e produtos de primeira necessidade em instalações sociais.

 

O plástico será eliminado?

 
envases_plastico_marcaje

Os benefícios que o plástico oferece em setores como agroalimentar, farmacêutico, químico ou cosmético são insubstituíveis. Como intitulamos um de nossos artigos mais recentes: Opinião impopular: o plástico é necessário. No entanto, as regulamentações governamentais, tanto comunitárias quanto estaduais, estão na linha de erradicar os materiais que não podem ser recuperados para reincorporação na cadeia de abastecimento. É o caso, por exemplo, das sacolas plásticas oxofragmentáveis, responsáveis ​​pelos microplásticos que poluem os oceanos.


A UE aprovou a Diretiva de Plásticos de Uso Único em 2019, que obriga os países da UE a aplicar uma série de medidas contra os plásticos descartáveis​​mais comumente encontrados nas praias europeias. De acordo com as disposições dos referidos regulamentos europeus, entra em vigor amanhã, sábado, 3 de julho, a proibição de determinados produtos plásticos de uso único, como cotonetes, canudos, palitos e talheres, pratos, hastes de balão, bem como embalagens de poliestireno expandido para comida e bebidas take-away. Além disso, a Comissão Europeia contempla um imposto sobre embalagens de plástico não reutilizáveis​​que irá tributar o fabricante de produtos plásticos de uso único (€ 0,45 por Kg de embalagem), ao mesmo tempo que estabelece o objectivo de atingir 90% de arrecadação de garrafas de plástico, que até 2030, deve conter pelo menos 30% de componentes reciclados.

 

Os fabricantes de embalagens plásticas estão desenvolvendo novos materiais bioplásticos e promovendo soluções de monomateriais e reciclagem e reutilização para se adaptarem aos novos requisitos regulamentares e à maior consciência ambiental da sociedade.

 


Paletes de plástico, uma alternativa em ascensão

O setor industrial está aproveitando os benefícios do plástico desenvolvendo novas aplicações, como os paletes, tradicionalmente feitos de madeira. Entre as vantagens que oferecem estão:

 
  • Leveza. Pesam 30% menos que os paletes de madeira, o que impacta nos custos de transporte.

  • Higiene. A sua limpeza e desinfecção são muito simples.

  • Longa vida útil sem deterioração.

  • Manuseio seguroa. Eles reduzem o risco de acidentes.

  • Reciclagem e facilidade de reutilização.

  • Empilhamento. Os paletes plásticos são muito resistentes e empilháveis, o que favorece a otimização do espaço de armazenamento. Além disso, existem soluções adesivas para evitar o deslocamento.

 
 
 
Plastic pallets_Labeling

Qualquer opção de embalagem, tanto para produtos primários, secundários e terciários, requer uma solução de marcação e codificação adequada. Na UBS, contamos com os melhores equipamentos de impressão, otimizados para atender qualquer necessidade. Entre em contato e estudaremos seu caso.

 

  • COMPARTILHAR NO:

Relacionados

Uma tinta para cada solução de marcação

As tintas UBS garantem a melhor resolução e qualidade na marcação. Nossa equipe de engenheiros químicos criaram uma mistura perfeita par

Etiquetagem de mercadorías perigosas

Se a etiquetagem é essencial em qualquer produto, ainda mais no caso das chamadas mercadorias perigosas. A etiqueta conté

.